Notícias >> Fundação JFS
  •  

    Em 06/04/2019

     

    Fundação protocola documento com 5 reivindicações de Itaporanga e Vale ao governador

     



              Por Redação da Folha – Em sua luta pelos direitos sociais e humanos, a Fundação José Francisco de Sousa protocolou ofício ao governo estadual por ocasião da plenária do Orçamento Democrático, realizada em Itaporanga na noite dessa sexta-feira, 5, com a presença do governador João Azevedo e de secretários estaduais.

                Entre as reinvindicações, a fundação pediu a implantação de uma delegacia da mulher na região e a reforma, ampliação e regionalização do hospital de Itaporanga. Foi o segundo documento da entidade pedindo a melhoria do hospital. O primeiro foi em 2015. No ano seguinte, a entidade protocolou requerimento também no Ministério Público pedindo ações da Promotoria e da Justiça com relação ao hospital.

                Os outros pedidos são relacionados ao Cooperar, Leite da Paraíba e Moradia Popular.  Vejam cada uma das reinvindicações e suas justificativas:  

             1 - Reforma, ampliação e regionalização do Hospital Distrital de Itaporanga, Dr. José Gomes da Silva. Não é mais aceitável que o governo continue negligente para com este hospital, que precisa de melhorias estruturais e urgentes, uma vez que se trata de o centro hospitalar mais demandado da região, mas cujo atendimento é comprometido devido a sua estrutura física precária e limitada, a falta de equipamentos médicos e medicamentos, além de outros graves problemas, conforme relatórios dos Conselhos Regionais de Medicina, Enfermagem e Farmácia e da Vigilância Sanitária, que condenam o hospital em relatórios apresentados à Justiça em demanda judicial contra o governo em razão exatamente das deficiências do nosocômio. No entanto, o drama maior é visível no cotidiano hospitalar, onde a falta de melhores condições de atendimento resultada em sofrimento e, em muitos casos, morte para crianças, idosos, jovens, mulheres e trabalhadores. Uma violência institucional contra pessoas já fragilizadas emocional e fisicamente. A melhoria deste hospital é um clamor popular há muito tempo ecoado e precisa receber a atenção necessária do governo estadual, que sucessivamente é cobrado por essa necessidade e até agora não reagiu.

     

                 2 – Delegacia da Mulher. O Vale é uma das regiões intermediárias do estado com maior ocorrência de violência física, doméstica e sexual contra a mulher. No entanto, a região, apesar de abranger 20 municípios, não tem uma única delegacia especializada para recepcionar e diligenciar nesses casos, que são cotidianos e brutais. A falta de uma delegacia da mulher é um obstáculo para muitas vítimas, que preferem não acorrer às delegacias gerais por serem ambientes totalmente masculinizados e não preparados suficientemente para um atendimento adequado e digno às mulheres em todas às suas necessidades, uma delas emocionais.

     

               3 – Retorno do Programa do Leite. Nos últimos anos, a pobreza e a carência nutricional agravaram-se em Itaporanga e no Vale. No entanto, não se observa nenhuma ação social e humanitária suficiente do governo estadual, ao contrário, a gestão anterior acabou com o programa Leite da Paraíba, que beneficiava dezenas de pessoas carentes deste município e Vale. Diante desse quadro de miséria, o retorno do programa do leite é uma necessidade.

     

               4 – Retorno do Cooperar. Há muito tempo, a zona rural de Itaporanga e do Vale não recebe investimentos do governo estadual, especialmente com relação a necessidades como passagens molhadas, abastecimento d’água comunitário, reservatórios superficiais, poços, eletrificação e outras demandas do campo. Isso se agravou ainda mais com o fechamento do Projeto Cooperar em Itaporanga, sendo necessário o seu retorno com recursos técnicos e para investimentos no campo regional, onde vivem milhares de famílias necessitadas de ações governamentais para conseguiram sobreviver em condições mínimas de dignidade humana.

     

               5 – Moradia Popular. São milhares de famílias em Itaporanga e no Vale sem uma moradia própria, vivendo em condições habitais subumanas ou precisando tirar da boca dos próprios filhos para pagar um aluguel e não ir para a rua. Diante disso, há necessidade da Companhia Estadual de Habitação Popular desenvolver ações para atender, ao menos, parte dessa demanda, pois, há muito tempo, não há investimento considerável do governo estadual em moradia em Itaporanga e região, o que é um equívoco e precisa ser reparado. São muitos idosos, mães solteiras, crianças e famílias inteiras sem moradia, agravando o problemática social. Foto: cerimonial do governador recebe e protocola o documento.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  •  

    Em 26/01/2019

     

    Sai resultado do 7º Concurso Literário de Itaporanga. Vejam os 5 primeiros de cada categoria

     



              Por Redação da Folha - O resultado do 7º Concurso Literário de Itaporanga foi divulgado neste sábado, 26, pela fundação José Francisco de Sousa, entidade promotora do certame, que, mais uma vez, reuniu poetas e poetisas da região e de todo o país.

                Do dia 20 de outubro, Dia do Poeta, quando regulamento do concurso literário foi publicado, até o último dia de dezembro passado, a fundação recebeu dezenas de inscrições. Foram inscritas obras para as categorias popular (Cordel) e erudito (Clássico).

                As avaliações e julgamento das obras ocorreram durante este mês de janeiro e o resultado foi conhecido neste sábado. Os dez primeiros colocados nas duas categorias receberão medalhas e certificados, que estarão a disposição de todos a partir do dia 4 de fevereiro. Para os vencedores que moram fora da região, o matéria poderá ser entregue pelos Correios, conforme o interesse de cada um e o que está disposto no regulamento.

    Vejam o resultado: os 5 primeiros de cada categoria:

     

    Cordel

    1º - José Nilton Leite, de Piancó, PB. Obra: Distante do Meu Sertão.

    2º - Massilon Silva, do povoado Bonsucesso (município de Poço Redondo), SE. Obra: Lilith a Mulher Serpente. 

    3º - Hosmá Passos, de Piancó, PB. Obra: a Cultura do Sertão.

    4º - João Manoel dos Santos, Juazeirinho, PB. Obra: Ser poeta é assim.

    5º - Antônio Clementino de Araújo, de Santana dos Garrotes. Obra: A vida do agricultor.

     

    Erudito

    1º - Alma Poeta (pseudônimo), do Recanto São Judas Tadeu (cidade Martinópolis), SP. Obra: À flôr da pele.

    2º - Diana Oliveira, de Itaporanga, PB. Obra: Sina.

    3º - Maria Dulce Esteves da Carvalheira, de Recife, PE. Obra: Rascunho Dum Poema.

    4º - Rahman Efigênio de Sousa Silva, de João Pessoa, PB. Obra: Beijo.

    5º - Massilon Silva, do povoado Bonsucesso (município de Poço Redondo), SE. Obra: Olhos Garços.

     

    Imagem: poesia vencedora na categoria Erudito.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  •  

    Em 02/12/2018

     

    Fundação realiza atividade sobre cordel e distribui folhetos em escola de Nova Olinda

     



                   Por Redação da Folha – Foi durante a Primeira Feira Cultura da escola municipal Maria Dionísia de Sousa, no distrito de Manguenza, município de Nova Olinda. Entre os gêneros artísticos que participaram da exposição,  destaque para a literatura popular. O cordel ganhou um espaço especial no evento, com exposição oral e também de trabalhos de poetas e poetisas da cidade e região.

                    Convidada, a fundação cultural e humanitária José Francisco de Sousa, que tem sede em Itaporanga, participou da feira e distribuiu dezenas de folhetos com alunos do educandário, especialmente os que enfocaram o gênero nordestino.

                     A fundação, através do seu representante na feira cultural, também fez uma breve palestra sobre a literatura cordelista e recitou trechos de alguns poemas clássicos e também de artistas regionais. Os alunos igualmente contribuíram com entidade doando alimentos para campanhas de apoio nutricional promovidas pela entidade ao longo do ano. Foto: alguns dos muitos estudantes que participaram do projeto.

     

     

     

     

     

     

     

     

  •  

    Em 01/11/2018

     

    Veio de São Paulo 1ª inscrição para Concurso Literário de Itaporanga promovido por fundação

     



               Por Redação da Folha – Veio de São Paulo, especificamente da cidade de Martinópolis, a primeira inscrição para o 7º Concurso Literário de Itaporanga promovido pela fundação José Francisco de Sousa. Trata-se de uma poetisa de pseudônimo Alma Peta.

             As inscrições para o certame literário, que são gratuitas, começaram no dia 20 de outubro, Dia do Poeta, e vão até o último dia deste ano. A divulgação do resultado e a premiação dos vencedores ocorrerá no último sábado de janeiro de 2019. Poetas e poetisas de Itaporanga e de qualquer lugar do mundo podem participar. São duas categorias: cordel e clássica.

     

    Vejam o regulamento:

     

    7º Concurso Literário de Itaporanga
    Constituição e Regulamento

    Cumprindo o que determina seus objetivos estatuários, especialmente o Artigo 2º, alíneas b e c, a Fundação José Francisco de Sousa, situada na Av. Padre Lourenço-392, Itaporanga, Paraíba, institui concurso de poesia denominado 7º Concurso Literário de Itaporanga, objetivando o estímulo à produção literária e a revelação de novos valores no campo da poesia clássica e popular e a celebração do 20 de outubro, Dia do Poeta, conforme o seguinte:
    1 - Das categorias poéticas e gratuidade:
    O concurso vai premiar duas categorias: a poesia erudita e a popular ou cordel, como também é conhecida, podendo qualquer pessoa, independentemente de idade e grau de instrução, inscrever, gratuitamente, sua obra em um dos dois gêneros poéticos.
    2 – Das inscrições:
    O período de inscrição de obras no concurso será de 20 de outubro a 31 de dezembro de 2018. O envio das poesias pode ser feito pelos Correios ou diretamente na sede da fundação, localizada na Avenida Padre Lourenço – 392, Itaporanga, Paraíba. Cep 58.780-000. Ou ainda pelo e-mail folhadovali@yahoo.com.br
    3 – Do encaminhamento das obras:
    O encaminhamento das obras pelos Correios, diretamente na sede da entidade ou por e-mail garantirá a inscrição do candidato (a), desde que dentro do prazo que trata o item anterior. A poesia poderá ser digitada ou manuscrita, mas não poderá trazer o nome nem qualquer sinal indicativo do autor, que deverá se identificar em uma folha à parte, constando nome completo, endereço, telefone e alguma informação sobre sua vida e obra. Um mesmo candidato poderá inscrever trabalho poético nas duas categorias, concorrendo em cada uma das duas modalidades poéticas com apenas um trabalho.
    4 – Da análise das obras e divulgação do resultado:
    Caberá ao corpo editorial do jornal Folha do Vale e especialistas convidados analisar as obras, avaliando critérios como riqueza, técnica e beleza literárias para definir os vencedores do certame, cujo resultado será divulgado em solenidade realizada às 20h do último sábado de janeiro de 2019, na sede da fundação, localizada na Av. Padre Lourenço, 392, Itaporanga, PB, ou em praça pública, se houver conveniência.
    5 – Da premiação:
    Do 1º ao 10º lugar nas duas categorias, os candidatos (as) receberão medalhas e todos os participantes do certame literário receberão Certificado de Participação, desde que solicitado. A premiação dos ganhadores ocorrerá imediatamente após a divulgação do resultado durante a solenidade, conforme data e horário que tratam o item anterior. Todos os candidatos serão convidados a participar do evento, sendo opcional a presença no evento de premiação. Quem desejar receber sua medalha e Certificado em casa poderá requerer da entidade, mas precisará arcar com os custos da postagem pelos Correios.
    6 – Do direito autoral e a eliminação do candidato (a):
    A obra enviada ao concurso terá que ser obrigatoriamente de autoria do candidato que a inscreveu, sendo que o plágio ou apropriação indevida de obra de outro autor resultará na eliminação imediata do candidato (a).
    7 – Da publicação das obras participantes do concurso:
    A Fundação José Francisco de Sousa poderá publicar em livro, revista ou jornal as obras participantes do certamente desde que não seja com fins lucrativos, e sendo seus autores avisados previamente da publicação, tendo acesso a exemplares dos impressos onde seus escritos foram publicados.

     

    Itaporanga, 20 de outubro de 2018.

     

    Francisco Nailton Otaviano Neto
    Diretor-Presidente
    (83) 9994-2794

    E-mail: folhadovali@yahoo.com.br

     

     

     

     

     

     

     

     

     

Aguarde um momento... Está carregando!
Desculpe, não foi encontrado nenhum resultado.

 

 

 
Informes & Opinião

Folha do Vale - www.folhadovali.com.br
Av. Padre Lourenço, nº 392 - Itaporanga - Paraíba
©2010 - Todos os direitos reservados