Em 17/08/2020

 

Em Itaporanga, escola inova no ensino à distância com robô pedagógico

 



            Por Redação da Folha – Com a suspensão das aulas presenciais em função das medidas sanitárias de combate ao coronavírus, a escola de ensino integral Professor Alencar Neves, da rede estadual de ensino em Itaporanga, teve que aderir, assim como tantas outras, à nova realidade do ensino à distância através de plataformas na internet, e, recentemente, a escola ganhou novas ferramentas pedagógicas, uma espécie de robô virtual, capazes de melhorar a qualidade do ensino remoto através de novas estratégias e práticas de aprendizagem.

            O projeto, que tanto melhorou e agradou a escola e estimulou seu alunado, é uma iniciativa voluntária de colaboradores pelo bem da educação escolar, um dos quais de Itaporanga e ex-aluno do educandário. São novas ferramentas capazes de promover a diversificação das estratégias e abordagens de ensino e, por conseguinte, possam permitir uma melhor eficiência de ensino, conforme o entomologista José Bruno Malaquias, itaporanguense filho da professora Lourdes Malaquias, que integra a escola e é a coordenadora do projeto. Bruno é um dos responsáveis pela criação, programação computacional e treinamento do robô. Ele também é técnico agrícola pelo CAVN-UFPB (Bananeiras), e Graduação em Agronomia pela UFPB (campus de Areia), Mestrado e Doutorado pela ESALQ/USP, com período sanduíche nos Estados Unidos, e atualmente é Bolsista FAPESP de Pós-Doutorado do IBB/UNESP, em Botucatu-SP.

             “Foi umas das minhas melhores experiências, pois é muito gratificante quando desenvolvemos um produto e o mesmo está sendo desfrutado pela sociedade. Em tempos de Educação 4.0, essa ferramenta tecnopedagógica é indispensável, pois é uma intermediadora eficaz da relação entre professor e aluno, e tem sido aperfeiçoada com uma estrutura completa e capaz de sanar dúvidas inerentes, e que pode ser aplicada a qualquer disciplina e orientar, com clareza, o aluno e/ou seus pais para execução das atividades propostas pelos docentes. Um outro diferencial dessa ferramenta baseada em bot é que ela pode ser facilmente replicável para qualquer outra escola e para outras modalidades de ensino”, comentou José Bruno.

            Ainda de acordo com ele, além de contar com um monitoramento em tempo real da execução de atividades pelos alunos através de seu portfólio digital, a escola desenvolveu um ecossistema digital com diversas ferramentas, em destaque: a produção de podcasts, acolhimentos virtuais, e um robô virtual (bot) de chat. “Dentre essas ferramentas, a mais inovadora e vem sendo muito explorada pelos alunos é o nosso robô tutor virtual, que batizamos de Robhito, o qual é uma ferramenta que facilita o desenvolvimento das atividades dos alunos vinculadas as suas experiências e ao seu contexto”, informou.

           O projeto foi desenvolvido por meio de uma brilhante parceria que envolve docentes, gestão e coordenação pedagógica da escola e colaboradores externos. José Bruno destaca a fundamental participação da entomologista Jéssica KS Pachú que é natural de Queimadas, Paraíba, formada em Agroecologia pela UEPB (campus de Lagoa Seca), mestre pela UFSCAR-Araras e atualmente doutoranda em Entomologia na ESALQ/USP, em Piracicaba-SP. Para Jéssica, o desenvolvimento estratégico do nosso bot simplifica o atendimento remoto, tornando-o mais acessível, rápido e eficiente.

            Até o momento já foram realizadas mais de 1000 atividades de consultas, especialmente por alunos do 6° e 7° anos do ensino fundamental da disciplina de História. Para a Coordenadora Pedagógica Roberlândia de Abrantes Gadelha Silva, o portfólio criado pela escola e a tutoria com o bot proposto como recurso pedagógico de feedback é, sem sombra de dúvidas, de grande relevância, tendo em vista que se trata de uma peça chave para que o aluno desenvolva sua autossuficiência e tenha um melhor aprendizado.

           Este recurso configurou um importante instrumento capaz de fazer com que o aluno esteja estimulado e seja capaz de aprender. A diretora da escola, Vanessa Lemos Roque, ressalta que a experiência tem sido exitosa, pois além de proporcionar um maior engajamento, culminou na produção de dois capítulos de livros elaborados pela equipe de docentes, coordenação e gestão da escola (Estratégias e práticas para atividades à distância e Portd_normal: um ecossistema digital para educação à distância).     

           Para conhecer melhor todo o portfólio disponibilizado pela Escola, os interessados deverão acessar o seguinte endereço AQUI

 

 

 

 

 

 


 

 

 
Informes & Opinião

Folha do Vale - www.folhadovali.com.br
Av. Padre Lourenço, nº 392 - Itaporanga - Paraíba
©2010 - Todos os direitos reservados