Em 08/03/2018

 

Corpos de cães são exumados e delegado abre inquérito para apurar crime em Igaracy

 



           Por Redação da Folha -  Assim que tomou conhecimento da matança de dezenas de cachorros supostamente autorizada pela Secretaria de Saúde de Igaracy, o delegado da cidade, Glêberson Fernandes, dirigiu-se ao local na manhã dessa quarta-feira, 7, acompanhado da perícia e descobriu outro crime ambiental: é que os restos mortais dos cães foram enterrados pela Prefeitura em um lixão, o que é ilegal pela agressão à natureza.

            Como o encontro dos corpos era fundamental para provar a materialidade dos delitos, o delegado foi atrás dos responsáveis pelo aterramento dos restos mortais e a mesma máquina que enterrou os animais foi utilizada para desenterrá-los. Depois do registro fotográfico e pericial, os cães retornaram à vala.

            O delegado e os peritos também estiveram no ambiente onde os cães foram mortos: é um prédio abandonado da Justiça, onde deveria funcionar o fórum da cidade. “Havia muito sangue no local, o que indica que os animais podem ter sido mortos por meios cruéis, entre eles pauladas e por outros meios igualmente ilegais”, comentou o delegado.

             De acordo ainda com o dr. Glêberson, o principal suspeito pelos crimes ambientais e maus tratos contra animais é o próprio secretário de saúde do município, Carlos Maia, que é veterinário. Ele já foi intimado a prestar depoimento, o que deverá ocorrer até esta sexta-feira, 9. “Inclusive, há declarações dele à imprensa assumindo que autorizou o sacrifício dos animais, mas há métodos apropriados para controlar a reprodução dos cães sem a necessidade de atos como o que foi praticado”, disse o delegado.  O Ministério Público também entrou no caso e pediu à Prefeitura a exoneração do secretário municipal.

 

   Obra jornalística protegida pela Lei nº 9.610/98. Proibida a reprodução.

 

 

 

 

 

 

 

 

Informes & Opinião

 

 

 

 

Folha do Vale - www.folhadovali.com.br
Av. Padre Lourenço, nº 392 - Itaporanga - Paraíba
©2010 - Todos os direitos reservados