Em 02/11/2019

 

Histórias e vivências da primeira coveira do cemitério de Itaporanga. Vejam documentário

 



           Por Redação da Folha – Dona Maria de Lourdes tem 79 anos e foi a primeira e única coveira do cemitério de Itaporanga. Foram quase duas décadas de um trabalho duro: com a força dos próprios braços abria novos túmulos, enquanto com zelo cuidava dos sepulcros já existentes.

            Ela ficou no lugar do marido, depois que ele adoeceu e não pode continuar o trabalho no cemitério. No final da tarde deste sábado, 2, Dia de Finados, a idosa, que reside no conjunto Miguel Morato, voltou ao cemitério, desta vez para visitar o túmulo de um neto, um jovem que faleceu há cerca de dois anos, supostamente vítima de um acidente de moto.

            Em uma breve entrevista para o canal Sem Máscara e sem Maquiagem, dona Lourdes falou das experiências reais e sobrenaturais vivenciadas no período em trabalhou no cemitério. Vejam o documentário audiovisual clicando AQUI e aproveite  para assinar o canal e ter acesso a antigos e novos vídeos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 
Informes & Opinião

Folha do Vale - www.folhadovali.com.br
Av. Padre Lourenço, nº 392 - Itaporanga - Paraíba
©2010 - Todos os direitos reservados